Portal Fronteira Livre

Segunda, 06 de dezembro de 2021
MENU

Política

TSE cassa mandato de deputado estadual Subtenente Everton (PSL) por abuso de poder econômico

Parlamentar foi cassado por abuso de poder econômico nas eleições gerais de 2018; sessão ocorreu na terça-feira (19). G1 tenta contato com a defesa.

150
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Por unanimidade, o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu cassar o mandado do deputado estadual Subtenente Everton (PSL) por abuso de poder econômico nas eleições gerais de 2018. A sessão ocorreu na terça-feira (19).

Pelo mesmo motivo, os ministros também cassaram o diploma de suplente de deputado federal do Coronel Figueiredo (PSL).

Eles tiveram parte dos gastos da campanha pagos pela Associação dos Militares da Reserva, Reformados e Pensionistas das Forças Armadas do Paraná (Asmir-PR), pessoa jurídica. A Lei das Eleições proíbe financiamento de campanha por pessoa jurídica.

A doação de R$ 12 mil na forma de impressão de material de campanha pedindo votos para os dois candidatos.

Na decisão, os ministros ainda determinaram que o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) refaça a contagem do quociente eleitoral a partir da anulação de todos os votos dos candidatos.

Com isso, haverá um novo cálculo para as vagas de deputado estadual, o que pode gerar mudança na Assembleia Legislativa do estado.

A ação teve início após denúncia de um eleitor e posterior proposição pelo Ministério Público Eleitoral. O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná julgou o caso, mas absolveu os dois militares.

O que dizem os citados

Em nota, o deputado estadual Subtenente Everton disse que acha que a decisão é injusta e que a campanha custou cerca de R$ 15 mil, "fruto de doações de amigos, apoiadores e economias pessoais".

"O entendimento do Ministério Público e do TSE de que houve abuso de poder econômico em razão de um informativo de meia dúzia de páginas de uma associação de militares aposentados, feito sem o conhecimento dele teve o poder de desequilibrar as eleições é completamente desprovido de qualquer razoabilidade", afirmou.

g1 tenta contato com a defesa da Associação dos Militares da Reserva, Reformados e Pensionistas das Forças Armadas do Paraná.

Créditos (Imagem de capa): Reprodução

Comentários:

Publicidade
Publicidade

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!