Portal Fronteira Livre

Sexta, 01 de julho de 2022
MENU

Rolê na Fronteira

No Dia da Mata Atlântica, Itaipu comemora os bons resultados na conservação ambiental

Localizada em uma área ocupada por esse bioma, homenageado anualmente em 27 de maio

128
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Localizada em uma área ocupada por esse bioma, homenageado anualmente em 27 de maio, a usina desenvolve uma série de projetos visando a conservação da fauna e da flora locais.

"...é muito comum uma certa árvore muito alta, cujo fruto é admirável... Há, além disso, pinheiros de altura estupenda; propagam profusamente ocupando o espaço de seis ou sete milhas... diversas árvores de frutos excelentes para comer-se, muitos de suavíssimo cheiro, e de mui deleitável sabor.” – Pe. Anchieta, 1560

Em 27 de maio de 1560, o padre José de Anchieta, encantado com as belezas da floresta encontrada no Brasil, envia a Portugal um relato conhecido como “Carta de São Vicente” – a primeira descrição da Mata Atlântica de que se tem conhecimento. Por isso, o dia 27 de maio foi proposto pelo Conselho Nacional da Reserva da Biosfera para comemorar o “Dia da Mata Atlântica”. 

Na época da carta de Anchieta, o maciço florestal ocupava mais de mais de 1.100.000 km², numa área que se estenderia, atualmente, por 17 estados brasileiros e regiões do Paraguai e da Argentina. Segundo dados do IBGE, estima-se que, hoje, 72% dos brasileiros vivam em territórios anteriormente ocupados pela Mata Atlântica.  

A Itaipu Binacional faz parte deste território. Localizada em uma área ocupada por esse bioma, a usina desenvolve uma série de projetos visando a conservação da fauna e da flora locais, entre eles a manutenção de diversos refúgios biológicos e a implantação de um corredor de biodiversidade ligando as áreas protegidas da usina ao Parque Nacional do Iguaçu.

A seriedade e o compromisso da empresa com o meio ambiente foram reconhecidos internacionalmente. As áreas de conservação da Itaipu foram reconhecidas pela Unesco como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA); além disso, a Itaipu é a primeira empresa a dirigir uma Unidade de Gestão Descentralizada da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica – em primeira instância, cada Reserva da Biosfera seria administrada somente por Comitê Gestor formado por entidades governamentais.

Em seu amplo território de floresta preservada ou recuperada, Itaipu realiza três ações fundamentais: conservação da biodiversidade, desenvolvimento sustentável e promoção do conhecimento científico. Segundo levantamento da ONG SOS Mata Atlântica de 2017, Itaipu era a principal responsável pela regeneração e recuperação de florestas no Paraná.

O Estado foi aquele que mais contribuiu para a restauração da Mata Atlântica no Brasil, com 75.612 hectares regenerados em 30 anos (entre 1985 e 2015). Desse total, 28% (20.957 hectares) correspondem às ações da Itaipu Binacional na margem brasileira do reservatório. 

Para muitos, tamanho envolvimento de uma usina hidrelétrica com o meio ambiente pode parecer inusual – mas o cuidado com a fauna e a flora está no DNA da Itaipu, desde sua criação. A preservação dos recursos hídricos é essencial para a produção de energia, e para que a água se mantenha limpa, o meio ambiente precisa estar em equilíbrio. É uma relação em que todos ganham: empresa, natureza e toda a comunidade. 

Por isso, nesse Dia da Mata Atlântica, Itaipu participa da comemoração com a consciência de estar trabalhando pelo desenvolvimento sustentável. E celebra com a participação de uma grande equipe dedicada a cuidar desse importante patrimônio do planeta.

Créditos (Imagem de capa): Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional

Comentários:

Publicidade
Publicidade

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!