Portal Fronteira Livre

Segunda, 06 de dezembro de 2021
MENU

Educação

Mensalidade escolar no País pode subir mais de 12% em 2022; entenda regras para reajuste

Maioria das escolas pretende aplicar reajuste de pelo menos 7%, mostra levantamento

107
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Com o fim de ano chegando, as escolas particulares já começam a anunciar os reajustes para 2022. A má notícia é que, diferentemente do ano passado, quando boa parte dos colégios seguraram os preços temendo a evasão de alunos em meio à pandemia, o valor das mensalidades tende agora a acompanhar a disparada da inflação no país, que no acumulado em 12 meses voltou a registrar taxa de dois dígitos.

Levantamento realizado pela consultoria Meira Fernandes, especializada em gestão de instituições de ensino, mostra que 90,9% das escolas particulares pretendem aumentar o valor da mensalidade em 2022 e que, na maioria dos colégios, o reajuste será de pelo menos 7%.

A pesquisa foi realizada em novembro em cinco Estados, ouvindo administradores de escolas que reúnem sob sua gestão um total de 25 mil crianças e adolescentes matriculados.

Entre as instituições que irão subir os preços, a maior fatia (53%) fará um reajuste entre 7% e 10%. Uma parcela de 7,6% informou que aplicará uma alta entre 10% a 11%, enquanto 9,1% irão aumentar as mensalidades em 12% ou mais.

“Obviamente, a inflação é um fator determinante. Em 2021, teve escola que bancou a alta nos custos para não perder alunos. E agora a fatura chegou. Não tem mais como as escolas segurarem os preços”, afirma Mabely Meira Fernandes, responsável pelo levantamento.

Vale lembrar que não existe teto para o reajuste e que cada escola tem autonomia para definir as mensalidades. A Lei nº 9.870 estabelece apenas que o novo valor deve estar de acordo com as despesas da escola e só poderá ser realizado uma vez a cada 12 meses.

Não há uma estimativa de órgãos públicos sobre a média dos reajustes, mas representantes do setor admitem que a tendência é que a inflação na casa de dois dígitos seja repassada para os preços das mensalidades.

Créditos (Imagem de capa): EBC

Comentários:

Publicidade
Publicidade

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!