É importante fazer uma distinção entre a proibição da venda de peles e a criação de animais para a obtenção desse produto, já que Israel proibiu em 1976 a criação de animais para essa finalidade. 

Além da pressão dos ativistas locais, a campanha contou com a participação da estrela Pamela Anderson, que é a Diretora Honorária da PETA US. Ela e o Vice-presidente Sênior de Campanhas da PETA US, Dan Mathews, fizeram lobby pessoalmente com os funcionários do governo em Tel Aviv, os dois também apelaram para o Primeiro-ministro Benjamin Netanyahu apoiar a proibição da venda de peles de animais. 

Essa lei representa um avanço na luta contra a crueldade animal. Mas, como ainda permite o uso de peles em tradições religiosas, o Shtreimel (chapéu usado por alguns judeus ortodoxos) continua autorizado. Além de Israel, a Índia também proíbe a comercialização de certos tipos de pele, como a de Vision, chinchila e raposa. Nos Estados Unidos, o comércio de peles também é proibido no estado da Califórnia. 

A situação no Brasil

Aqui no Brasil o Estado de São Paulo já proíbe o comércio de peles de animais. A lei (n.º 16.222/2015), impede o uso de chinchilas, coelhos, raposas, e outros animais, para a criação de vestuário. Porém, é importante notar que essa lei não abrange o uso de couro animal que é extraído durante a produção de carne. 

Qual outro país poderá proibir a venda de peles? 

Segundo a PETA, outro país que pode banir as peles de animais em breve é o Reino Unido. Atualmente, o governo está recolhendo evidências para proibir essa prática, realizando uma pesquisa cuja data final para respostas é 28 de junho. Todas as pessoas, que residam em qualquer parte do mundo, podem respondê-la, e a PETA dá algumas instruções para tornar as respostas mais eficientes. 

Sobre a PETA 

A PETA é uma organização internacional sem fins lucrativos, fundada em 1980, por Ingrid Newkirk e Alex Pacheco, com sede na cidade de Norfolk, Vírginia (EUA). Tem o objetivo de educar tanto os legisladores quanto o público a respeito dos abusos que os animais sofrem, Segundo o site da organização: “A PETA acredita que os animais têm direitos e merecem que seus melhores interesses sejam considerados, independentemente de serem úteis para os humanos. Como você, eles são capazes de sofrer e têm interesse em viver suas próprias vidas”, em tradução livre.