Portal Fronteira Livre

Sábado, 18 de setembro de 2021
MENU

Boa Forma & Saúde

Elogiada por promover “tratamento precoce”, Chapecó tem nova alta de casos e descarta lockdown

Cidade é a segunda com mais casos ativos de covid em Santa Catarina; número dobrou em menos de duas semanas

161
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Com 224 mil habitantes, Chapecó (SC) foi elogiada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no início de abril como um dos exemplos da eficácia do chamado “tratamento precoce” contra a covid-19. Quatro meses depois, a cidade registra nova alta de casos ativos e internações, e o prefeito bolsonarista João Rodrigues (PSD-SC) descarta a adoção de novas medidas restritivas para evitar contaminações.

O número de casos ativos na cidade do oeste catarinense saltou de 436, no dia 3 de agosto, para 1.015 nesta segunda-feira (16). Há 102 pacientes internados, e 689 óbitos desde o início da crise sanitária.

“Não vamos fechar nada. Vamos intensificar a fiscalização em quem está descumprindo e promovendo aquilo que não está permitido”, afirmou o prefeito de Chapecó em transmissão ao vivo no último dia 10.

Os alvos da fiscalização seriam principalmente bares e estabelecimentos comerciais. A ideia é atestar a ventilação dos ambientes e o cumprimento de normas relacionadas ao uso de máscaras e ao distanciamento social.

“Havendo redução dos casos [no município] para a ordem de 300, vamos fazer um decreto para liberar baile, balada, tudo com controle de testagem rápida e vacinação de segunda dose”, completou João Rodrigues.   

Desde aquela transmissão ao vivo, o número de casos ativos cresceu 54%. 

Distorções

Assim que Bolsonaro elogiou a gestão da pandemia em Chapecó, no início de abril, começaram a circular nas redes sociais boatos de que a cidade zerou internações após adotar um suposto “tratamento precoce” contra o coronavírus.

Isso nunca aconteceu. O que houve foi o fechamento de um Centro Avançado de Atendimento Covid-19 (CAAC) montado durante o pior momento da pandemia. Ainda assim, à época daquele rumor, cerca de 116 pacientes de covid-19 estavam internados em UTIs na cidade.

A atual gestão da Prefeitura, de fato, criou em um “centro de tratamento precoce”, oferecendo à população medicamentos sem eficácia comprovada, como ivermectina, azitromicina, cloroquina e hidroxicloroquina, no início deste ano. Porém, os casos ativos da doença só caíram após 14 dias de lockdown – medida restritiva criticada por Bolsonaro.

O presidente visitou Chapecó duas vezes na pandemia, em abril e junho, ignorando o lockdown e insistindo que a cidade é uma prova de que suas teses sobre a covid-19 estão corretas. Na última visita, Bolsonaro e seus apoiadores realizaram uma “motociata” na região.

Chapecó é a quinta cidade mais populosa e a segunda com mais casos ativos de covid-19 em Santa Catarina. A primeira colocada em número de casos ativos é Joinville (1.827), que tem mais que o dobro de habitantes de Chapecó e, portanto, incidência menor do vírus.

Diferentemente de Bolsonaro, o prefeito João Rodrigues é um incentivador da imunização. Até o momento, 133.518 habitantes tomaram a primeira dose da vacina contra a covid e 62.214 tomaram as duas doses.

 

Fonte/Créditos: Daniel Giovanaz / Brasil de Fato

Créditos (Imagem de capa): Em visita a Chapecó em abril, Bolsonaro ergueu o braço do prefeito João Rodrigues (PSD-SC): "Vencendo a covid" - Alan Santos/PR

Comentários:

Publicidade
Publicidade

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!