Portal Fronteira Livre

Terça, 17 de maio de 2022
MENU

Variedades

Cientistas encontram galáxia mais distante já vista da Terra, a 13,5 bilhões de anos-luz

HD1 foi descoberta após mais de mil horas de observações em telescópios.

96
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Cientistas descobriram a galáxia mais distante da Terra já registrada. Batizada de HD1, ela está a 13,5 bilhões de anos-luz do nosso planeta e foi descoberta após mais de 1,2 mil horas de observação com diversos telescópios como o Subaru, no Japão, VISTA, no Chile, Telescópio Infravermelho do Reino Unido e Spitzer, nos Estados Unidos.

O trabalho realizado por uma equipe internacional de astrônomos, incluindo pesquisadores do Centro de Astrofísica de Harvard, foi descrito nesta quinta-feira na revista científica Astrophysical Journal.

A HD1 está a 100 milhões de anos-luz mais distante da Terra que a galáxia GN-z11, até então reconhecida como a mais distante já vista.

‘Extremamente brilhante’

O estudo aponta duas possibilidades para a formação da HD1, que poderiam explicar porque a HD1 é “extremamente brilhante” em luz ultravioleta. A primeira é de que ela seria composta por uma grande quantidade de estrelas, muitas delas devem fazer parte da chamada População III, as primeiras estrelas do universo, que até o momento nunca foram observadas. Na segunda alternativa, a galáxia poderia conter um buraco negro com cerca de 100 milhões de vezes a massa do Sol.

“A primeira população de estrelas que se formou no universo era mais massiva, mais luminosa e mais quente do que as estrelas modernas De fato, as estrelas da População III conseguem produzir mais luz UV do que as normais, o que poderia esclarecer a extrema luminosidade ultravioleta de HD1”, explicou Fabio Pacucci, principal autor do estudo.

Por outro lado, o buraco negro absorve enormes quantidades de gás e fótons de alta energia que podem ser emitidos ao redor da estrutura. Se for esse o caso, seria o primeiro buraco negro supermassivo conhecido pela humanidade.

“Foi um trabalho muito difícil encontrar a HD1 no meio de 700 mil objetos. A cor vermelha combinava surpreendentemente bem com as características esperadas de uma galáxia a 13,5 bilhões de anos-luz de distância da Terra. Tive arrepios quando a encontrei”, celebrou Yuichi Harikane, astrônomo da Universidade de Tóquio que também descobriu a galáxia.

A próxima etapa do trabalhado consiste em fazer mais observações da galáxia para confirmar novamente a distância da Terra e tentar tirar mais conclusões sobre as teorias criadas sobre a HD1.

Estrela mais distante

na semana passada, o Telescópio Espacial Hubble da Nasa bateu um recorde ao detectar a estrela mais distante da Terra, a 12,9 bilhões de anos-luz do nosso planeta. De acordo com a agência espacial americana, essa estrela existiu no primeiro bilhão de anos após o nascimento do universo, no Big Bang.

O astro recém-descoberto foi denominado Earendel, que significa “estrela da manhã” em inglês antigo. Além disso, é o nome de um personagem com uma estrela na testa na saga “Senhor dos Anéis”, escrita por J. R. R. Tolkien.

Créditos (Imagem de capa): Reprodução

Comentários:

Publicidade
Publicidade

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!