Terça, 23 de Julho de 2024
(45) 99849-1698
Sociedade JUSTIÇA DO TRABALHO

Carregadores da Ceagesp conquistam direitos trabalhistas e previdenciários

Como a decisão afeta 3.500 trabalhadores e envolve questões estruturais, a 2ª Turma decidiu que haverá um regime de transição para o cumprimento integral da lei

30/06/2024 18h08
Por: Redação
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Em uma decisão histórica, a Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) reconheceu os carregadores autônomos da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) como trabalhadores avulsos urbanos não portuários. A partir de agora, esses trabalhadores terão direito a uma série de benefícios, como carteira de trabalho assinada, FGTS, férias, licença-maternidade e aposentadoria.

A decisão foi tomada em um momento crucial, já que a situação dos carregadores da Ceagesp era precária. Sem vínculo empregatício e sem proteção trabalhista, esses trabalhadores eram submetidos a longas jornadas de trabalho, condições precárias de saúde e segurança e salários baixos.

A luta por seus direitos durou anos e contou com o apoio do Ministério Público do Trabalho (MPT), que ajuizou uma ação civil pública contra a Ceagesp e o Sindicato dos Carregadores Autônomos de Hortifrutigranjeiros e Pescados em Centrais de Abastecimento de Alimentos do Estado de São Paulo (Sindicar).

Na ação, o MPT denunciou as diversas irregularidades nas condições de trabalho dos carregadores, como a falta de carteira assinada, a ausência de registro em carteira profissional, a não concessão de férias, licenças e outros direitos trabalhistas, além da exposição a riscos à saúde e à segurança.

Em sua defesa, a Ceagesp e o Sindicar negaram responsabilidade pelos trabalhadores, alegando que não eram tomadores de serviços e que os carregadores atuavam de forma autônoma. No entanto, o TST reconheceu que, apesar de algumas atividades autônomas, a principal função dos carregadores era a movimentação de mercadorias, atividade que se caracteriza como trabalho avulso urbano não portuário.

Leia mais: Calça Jeans Dom Farias: A Peça Perfeita para o Pai que Busca Conforto e Estilo

A decisão do TST é um marco importante na luta por melhores condições de trabalho para os trabalhadores avulsos no Brasil. A partir de agora, os carregadores da Ceagesp terão acesso a direitos básicos que lhes garantem dignidade e respeito.

Pontos importantes da decisão:

  • Reconhecimento do vínculo empregatício: Os carregadores da Ceagesp foram reconhecidos como trabalhadores avulsos urbanos não portuários, o que significa que agora possuem vínculo empregatício com a empresa.
  • Direitos trabalhistas e previdenciários: Com o reconhecimento do vínculo empregatício, os carregadores da Ceagesp terão direito a uma série de benefícios, como carteira de trabalho assinada, FGTS, férias, licença-maternidade, aposentadoria e outros.
  • Regime de transição: A mudança na situação dos carregadores da Ceagesp deve ser implementada gradualmente, por meio de um regime de transição flexível a ser definido entre as partes envolvidas e o Judiciário.

A decisão do TST é um passo importante na luta por justiça social e melhores condições de trabalho para todos os trabalhadores brasileiros.

Para saber mais:

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias